Resenhas, artigos e contos

Resenhas, artigos e contos

[Resenha] A Torre Negra Vol.1 - O Pistoleiro, de Stephen King

Editora: Suma das Letras
Ano: 2012 (originalmente publicado em 1982)
Páginas: 221
Skoob
Onde comprar? Saraiva
Sinopse: Este livro é o primeiro dos sete volumes de série A Torre Negra, obra mais ambiciosa do escritor Stephen King. "O Pistoleiro" apresenta ao leitor o fascinante personagem de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam "seguiu adiante". Para evitar a completa destruição desse mundo já vazio e moribundo, Roland precisa alcançar a Torre Negra, eixo do qual depende todo o tempo e todo o espaço, e verdadeira obsessão para Roland, seu Cálice Sagrado, sua única razão de viver. O pistoleiro acredita que um misterioso personagem, a quem se refere como o homem de preto, conhece e pode revelar segredos capazes de ajudá- lo em sua busca pela Torre Negra, e por isso o persegue sem descanso. Pelo caminho, encontra pessoas que pertencem a seu ka-tet - ou seja, cujo destino está irremediavelmente ligado ao seu. Entre eles estão Alice, uma mulher que Roland encontra na desolada cidade de Tull, e Jake Chambers, um menino que foi transportado para o mundo de Roland depois de morrer em circunstâncias trágicas na Nova York de 1977. Mas o pistoleiro não conseguirá chegar sozinho ao fim da jornada que lhe foi predestinada. Na verdade, sua aventura se estenderá para outros mundos muito além do Mundo Médio, levando-o a realidades que ele jamais sonhara existir. Inteiramente revista pelo autor, esta primeira edição brasileira de "O Pistoleiro" traz também prefácio e introdução inéditos de King.



Resenha

Após a leitura de A Zona Morta, este foi o segundo livro de Stephen King que leio, e pretendo finalizar a leitura dos sete títulos que compõem a série até o final de 2013. Apesar de ser apontado como um dos mestres do terror e do suspense da atualidade, tanto A Zona Morta quanto A Torre Negra (pelo menos, por enquanto) são títulos escritos em outros vieses, a saber, o primeiro tende ao drama, e o segundo à fantasia, ficção científica e um pouco de faroeste (embora contenha alguns toques de horror e outros gêneros). Logo, deixarei para conhecer os livros de horror mais clássicos em outra ocasião, embora A Torre Negra seja uma série marcante na carreira do autor, tanto que, quando o King sofreu um acidente de carro que quase o matou, muito de seus leitores disseram "Ah, lá se vai o final de A Torre Negra", posto que a série ainda encontrava-se inacabada na época, e ainda (aparentemente) se encontra, pois já foi lançado um oitavo volume cuja enredo situa-se entre o terceiro e quarto livro.

A escrita do livro foi uma das mais gostosas que já li. As passagens são muito bem detalhadas, mas longe de serem enfadonhas, pois são detalhes que enriquecem o teor das cenas, e colocados, às vezes, de maneira poética e subjetiva. Como uma das inspirações de King para esse livro foi o grande Tolkien, a necessidade de detalhar o mundo e a jornada do protagonista lembram um pouco o estilo de O Senhor dos Anéis, só que bem mais dinâmico. O vocabulário é bastante rico e conveniente, e a leitura flui sem dificuldades, pois, em relação à escrita, não encontrei nenhuma parte maçante no livro. Agora, em relação ao enredo, houve alguns percalços. 

Uma simples lida na sinopse já enuncia os rastros de um universo fantástico criado pelo autor. Porém, apesar da fascinação encontrada em suas páginas, o universo de A Torre Negra não se mostra claro. Todas as informações são fragmentadas e colocadas de forma incoesa ao longo da história, deixando o leitor confuso e obrigando-o a montar um panorama geral daquele cenário que não há como ser devidamente completado mesmo ao fim do livro. Há perguntas demais e poucas respostas, apenas fatos e mais fatos sem explicações. Não sabemos em que diabos de mundo eles estão vivendo. Se é o mesmo mundo que o nosso num futuro pós-apocalíptico; um tipo de realidade especulativa; um mundo paralelo... Não há como saber.  

O começo da história conta a jornada solitária do Pistoleiro relembrando alguns acontecimentos de um passado distante ou de pouco tempo atrás, e o enredo vai desenvolvendo-se a partir desses flashbacks até o momento em que Roland encontra um garoto chamado Jake, e temos finalmente alguma interação mais significativa no tempo presente da trama. É justamente nessa parte que a história começa a se desenvolver um pouco melhor, criando um triângulo de tensão entre Roland, Jake e o homem de preto. 

A base do livro, porém, é a caçada de Roland pelo deserto atrás do homem de preto, e a expectativa desse encontro é a esperança do leitor em busca de respostas. E elas, enfim, vêm à tona, sobre a relação de Roland com o homem de preto, sobre a Torre Negra... mas junto de inúmeras outras perguntas. Em suma, O Pistoleiro representa apenas uma introdução para algo maior, para uma saga que, devido às poucas explicações neste volume, será imprevisível.  

5 comentários

Autor
avatar

Legal, Luiz! Ainda li pouca coisa do Stephen King, como O Iluminado e a versão em quadrinhos de The Stand.

Fiquei curioso com esse. Valeu a dica!

Balas
Autor
avatar

No geral, achei um livro bom. Estou lendo o segundo agora, e está sendo bem diferente do primeiro (farei resenha semana que vem). O Iluminado está na minha lista, mas só depois de ler Carrie por causa do filme este ano.

Até!

Balas
Autor
avatar

Me ajuda a entender uma coisa? Tô pesquisando feito louca aqui na internet e não encontro nada a respeito. Meu volume 1 traz essa mesma informação de edição com prefácio inédito do SK e tal e lá fala que ele acrescentou umas 30 páginas na história. E é um volume com páginas amarelas (o seu também é?). Quero continuar a colação dessa maneira. Mas pareceque comprei um livro fantasma hahahaha pq ninguém comenta na internet sobre a continuação dessa edição revisada por ele (c os próximos volumes igualmente revisados) ou sobre as tais páginas amarelas.
Sem contar que nas informações técnicas do livro n fala nada sobre uma "edição especial" ou qualquer coisa ora eu filtrar a busca. Enfim, comprei um livro d uma edição fantasma kkkkkkkkkkk

Balas
Autor
avatar

Olá. Desculpe a demora para respondê-la, estava adoentado nas últimas semanas. Sobre sua dúvida, lembro-me que o King mexeu apenas no primeiro volume da história, acrescentando essas 30 páginas. O volume que tenho aqui é de páginas brancas, lançado pela Suma das Letras em 2004. Não sei se consegui te responder xD

Balas
Autor
avatar

Essa informação é relevante! Muito obrigada!
Vou tentar falar c a editora também. Agora a dúvida das páginas amarelas continua, porque na Leitura daqui de Goiânia tem o volume 6 em páginas amarelas também O.o

Balas