Resenhas, artigos e contos

Resenhas, artigos e contos

[Resenha] As Aventuras de Pi

O filme é uma adaptação do livro Life of Pi, escrito por Yan Martel, uma obra de literatura fantástica que chegou a ser considerada plágio do livro Max e os felinos de Moacyr Sclair. Eu não li nenhum dos dois livros e não posso afirmar se Martel "copiou e colou" todas as ideias, mas o próprio autor afirmou ter sim se baseado no livro de Sclair para produzir o seu. Deixando isso de lado, a obra escrita pelo autor indiano provavelmente é uma instigante leitura, pois pode-se dizer o mesmo de sua adaptação cinematográfica.

Quero destacar, porém, a questão da tradução de "Life of Pi" para "As Aventuras de Pi". O título dá uma impressão equivocada do gênero do filme, pois muitos certamente interpretariam esse "aventuras" como aquele entretenimento leve de um ou mais personagens se deparando com lugares e ambientes fantásticos. Na verdade, foi bem isso o que aconteceu no filme, apenas com a ausência do "entretenimento". Parte do público não irá levar a sério ou não conseguirá compreender algumas camadas mais profundas do filme, não indo além da história bruta. Life of Pi exige a atenção do espectador, caso contrário este não irá compreendê-lo.

A história principia com uma cena do Pi adulto recebendo a visita de um escritor à procura de uma boa história para um livro. Pi então conta sobre a sua vida, de como ele encontrou Deus, e assim somos guiados através das cenas do Pi criança e adolescente sob a própria ótica do personagem. A primeira meia hora do filme pode cansar o espectador impaciente que aguarda o início da "aventura". No entanto, esses minutos foram necessários para se criar uma empatia com o personagem, pois a narração do Pi adulto falando de si mesmo vai construindo seu personagem conforme o filme caminha. O interessante na vida do protagonista é ele ser filho de um pai bastante cético quanto às religiões (aparentemente um ateu) e de uma mãe hindu. Contudo, Pi também acaba se convertendo para outras filosofias religiosas. E é justamente a temática religiosa um ponto forte no filme, não no sentido de criar alguma moralidade e incitar a conversão numa ou outra religião, e sim num sentido de "questionamento". 

O simbolismo está presente em muitas cenas, desde alegorias bíblicas como a de Noé até cenas que demandam profunda observação. Tudo isso com o auxílio de fabulosos efeitos visuais que deixam vários filmes de 2012 no chinelo. Soma-se isso a uma trilha sonora capaz de tragar o espectador para os ambientes fantásticos apresentados. A harmonia entre imagem e som é extasiante e cria uma emoção muito forte. Outro detalhe cativante é o foco no rosto do tigre, como se desafiasse o espectador, assim como o protagonista, a sondar o que ele poderia estar sentindo.

As Aventuras de Pi foi indicado em diversas categorias do Oscar, e com mérito. O filme é um prato cheio para diversas interpretações, mas creio que a temática envolva a fé, ou melhor ainda, a fé nos mitos seguidos pela humanidade. Em qual deles você acredita? Em qual Deus você acredita? No que você acredita?